Lombalgia é uma das principais queixas dos pacientes da COT

Especialista em coluna, Dr. João Ricardo da Rocha Bohrz, está há mais de cinco anos na COT. Diariamente ele ouve e trata inúmeras queixas relacionadas à coluna, mas responde com convicção e sem consultar prontuários, que o principal problema atendido e tratado por ele é a lombalgia.

As dores ocorrem na parte inferior da coluna vertebral. “As causas da lombalgia são variadas, contudo a questão postural está entre os principais fatores de risco. É necessário que tenhamos mais cuidados com nossos hábitos. Geralmente a lombalgia está relacionada com a postura incorreta ao deitar, sentar ou realizar qualquer atividade do dia a dia”, explica Dr. João Ricardo.

Outros fatores também podem causar a lombalgia: hérnias de disco, inflamações e infecções, artrose ou escorregamento de vértebra; sedentarismo; obesidade; fatores genéticos; envelhecimento e até questões emocionais.

O trânsito é um dos principais vilões da lombalgia

Os taxistas, motoristas de ônibus e caminhões, mais recentemente quem optou por ser motorista da Uber, precisam tomar cuidados para evitar a lombalgia. Antes das inovações tecnológicas, por exemplo, o câmbio automático e os vidros elétricos, o corpo encontrava mais ocasiões para fazer aquilo que lhe é inerente: mover-se. Hoje, dirigir por longas horas pode ocasionar freqüentes dores nas costas.

Portanto, motoristas e passageiros que passam por longos períodos no trânsito, não podem abrir mão de certos cuidados com a coluna. Fique atento ao encosto, que deve fornecer um suporte lombar para que a lordose seja mantida, evitando assim futuras dores lombares ou prevenindo o agravamento das lesões já instaladas.

Outras dicas para evite a lombalgia e as dores nas costas

  • Procure não dormir de bruços, mas de lado e com um travesseiro entre os joelhos; ou de barriga para cima, com um travesseiro atrás do joelho;
  •  Opte por colchões semiortopédicos;
  • Ao levantar da cama, vire o corpo para o lado e comece a se levantar de lado. Não levante-se para frente;
  • No trabalho, opte por cadeiras que não reclinem para trás e que possuam apoio para os braços; ao sentar, use todo o encosto e deixe os pés totalmente encostados no chão.
  • É importante lembrar que as mochilas devem ser usadas com as duas alças, além de cuidar com o excesso de peso, principalmente nas crianças.

Especialista da COT aponta sintomas e tratamentos para dores na coluna

Foi numa consulta com o médico especialista em coluna, Dr. Rogério Marinho Leite, que a joinvilense Gertrudes Meier, de 80 anos, descobriu que havia solução e tratamento para as dores que sentia na coluna. Ela foi ao médico acompanhada da filha, Sirlei Meier Zimmermann, que também é paciente da COT e trata preventivamente problemas na coluna.

Dona Gertrudes relata que as dores nas costas costumavam piorar após a realização de atividades simples do dia a dia, como organizar a casa ou até uma caminhada mais longa que ela fazia.

Para o médico, além da dor, o paciente com alguma disfunção na coluna pode sentir outros sintomas como formigamentos e dormências nos membros inferiores ou superiores. “É comum também que o paciente sinta que a dor foi irradiada para outros membros. Em alguns casos mais graves pode ocorrer do paciente perder o controle da bexiga ou do intestino, além de ter dificuldades para se locomover ou levantar algum objeto”, salienta Dr. Rogério.

Outro sintoma relatado por Dona Gertrudes era a sensação de que as pernas e os braços estavam pesados e sem força. “Dores de cabeça próximo da nuca e nos ombros eram também muito comuns. Em algumas vezes eu me sentia desanimada para realizar atividades rotineiras, que antes não eram difíceis de realizar”, descreve.

Antes de tudo, procure a orientação de um especialista

Nenhum tipo de dor na coluna deve ser ignorado, principalmente, quando o paciente detecta a presença de um ou mais dos sintomas listados acima. “Quando identificar incômodos similares, é importante procurar por ajuda médica imediatamente e relatar todos os sintomas sentidos e observados”, explica Dr. Rogério.

Outro problema recorrente descrito pelo médico é o fato das pessoas não buscarem ajuda médica e mascararem a dor com o uso de medicamentos por conta própria ou receitas caseiras. “Isso coloca ainda mais em risco a saúde do paciente. O ideal é investigar a causa das dores e demais sintomas com a ajuda de um especialista para que o diagnóstico seja preciso e que a raiz do problema seja descoberta e tratada de forma adequada e efetiva”, informa.

Para cada caso, um tratamento

O tratamento irá depender do motivo que ocasiona a dor nas costas: protrusão, uma hérnia, ou se o problema é somente postural, muscular, ergonômico. Para cada caso, um tratamento específico. As dores poderão ser tratadas com medicamento específico, métodos de fisioterapia e nos casos mais graves com a intervenção cirúrgica.

Carregando... Por Favor Aguarde.