Parou de malhar nas férias? Veja como voltar a treinar com segurança

voltar a treinar

Para muitos brasileiros, a vida começa depois do carnaval. É hora de voltar à rotina e isto inclui o retorno aos exercícios físicos. A boa notícia é que, de acordo com os especialistas, voltar a treinar é muito mais fácil do que começar a fazer exercícios pela primeira vez. Isto ocorre em virtude da memória muscular.

Mas, mesmo assim, é preciso retornar devagar até o corpo voltar a dinâmica anterior. Veja algumas recomendações para recomeçar com segurança:

1. Vá com calma

Afobação é a última coisa que você precisa neste momento. O seu corpo ficou um tempo sem malhar e, por isso, não estará nas mesmas condições físicas de antes. É preciso começar devagar e ir aumentando a carga, a intensidade e a duração aos poucos para evitar lesões mais graves. Trabalhe a mente para não se cobrar demais e conseguir estabelecer metas realísticas de médio prazo. Lembre-se: quando mais tempo parado, maior o período de readaptação.

 

2. Converse com seu corpo

Sinta seu corpo. Não subestime as dores durante e depois dos exercícios. Elas podem ser um indicativo que a carga e a intensidade do exercício estão além do que seu corpo aguenta naquele momento. Procure os especialistas da COT Joinville e faça uma avaliação antes de continuar os treinos. Manter os exercícios mesmo com dor poderá agravar a lesão, tornando a recuperação mais demorada.

 

3. Trace objetivos

Após a primeira semana de treinos já é possível estabelecer metas para aumentar a intensidade dos exercícios de forma controlada e segura. Mas antes disso, faça um planejamento que englobe todos os aspectos de sua vida, incluindo uma alimentação mais saudável, períodos regulares de sono, momentos de lazer com a família e amigos, etc. Essa etapa é muito importante para você avaliar o progresso de seu treino.

 

4. Alongar? Sempre!

O alongamento é essencial para evitar lesões. O ideal é fazê-lo por 10 a 15 minutos antes da atividade física. Ele ajuda a evitar lesões e também melhora o desempenho. Na prática, o alongamento aquece e “solta" a musculatura antes dos treinos. É recomendável também fazê-lo no final dos treinos para relaxar os músculos.

 

            Neste post nossos especialistas detalham como fortalecer a coluna e melhorar a          postura com alongamento.

 

5. Mude sua dieta

Cuide da alimentação. Ela é o combustível do nosso corpo. Busque uma dieta que forneça todos os grupos alimentares essenciais para nutrir o corpo com bons carboidratos, fibras, gorduras e proteínas. E nunca se esqueça de beber muita água para manter-se hidratado.

 

            Veja aqui os 10 alimentos ricos em gorduras boas.

 

            Seguindo estes cuidados você terá um retorno aos treinos muito mais saudável e proveitoso!

Saiba o que é o "cotovelo de babá”, problema comum em crianças de até 4 anos

cotovelo de babá

Bastante comum entre crianças de 18 meses a 4 anos de idade, o cotovelo de babá é o nome popular para a subluxação do cotovelo.

Em geral, as crianças desenvolvem a dor de cotovelo quando o braçinho fica muito tempo esticado para dar a mão aos pais ou a babá. Nesta faixa etária, o cotovelo ainda não está bem formado e apresenta frouxidão nos ligamentos. Por isso, é relativamente comum ocorrer um deslizamento do ligamento entre os dois ossos do braço, ocorrendo, aí o cotovelo de babá. Quando o braço volta à posição normal, após largar a mão do adulto, os ossos não retornam ao ponto inicial, provocando dor e desconforto.

O primeiro sintoma da ocorrência do cotovelo de babá é a recusa da criança a dar o braço ao adulto e chorar muito ao tentar dobrar ou esticar o cotovelo. Outro sintoma é a dificuldade em rodar a palma da mão para cima ou para baixo. Essa dificuldade é causada porque a rotação é feita através de uma articulação entre dois ossos do braço (o rádio e a ulna) que estão “imobilizados" devido ao deslocamento do ligamento.

Dor de cotovelo deve ser levada muito a sério

             Os especialistas da COT Joinville lembram que a dor provocada pelo cotovelo de babá deve ser levada muito a sério. É uma lesão considerada de emergência. A luxação pode ser simples ou grave.

          A simples, não envolve qualquer lesão óssea de grande impacto e, após a manobra de redução para restauração da posição iniciar, a recuperação é rápida. Mas em casos graves, a subluxação pode afetar inclusive os vasos sanguíneos e os nervos que percorrem o cotovelo.

            Para diferenciar, procure imediatamente um especialista. Mas, de modo geral, lesões simples apenas causam desconforto e o cotovelo ainda apresenta uma certa mobilidade. Em lesões graves, toda a região do cotovelo fica deformada e a dor é intensa.

Manobra pode ser feita na emergência ou clínica especializada

            A manobra de restauração do cotovelo é conhecida como “manobra de redução” e pode ser feita em clínicas especializadas ou na emergência de hospitais.

            Confira a "manobra de redução” neste vídeo.

            Em geral, a criança se recupera  rapidamente. Porém, em alguns casos, poderá sentir desconforto durante alguns dias após a manobra de redução. Em situações mais graves, uma tala gessada e medicação para aliviar a dor, são indicadas.

Conheça os sintomas

  1. A criança chora muito e mantém o bracinho parado ao lado do corpo com a palma da mão virada para trás,
  2. Ela se recusa a levantar o braço em virtude do desconforto,
  3. Não usa a mão do lado do corpo afetado pelo cotovelo de babá. Instintivamente usará a outra mão,
  4. Sente muita dor quando os pais tentam mover o antebraço.

Prevenção em quatro passos

  1. Nunca levante a criança do chão puxando pela mão. Levante-a segurando-a debaixo dos braços,
  2. Evite brincadeiras de balançar a criança pelas mãos,
  3. Não segure a criança pela mão para ela não sair correndo,
  4. Nunca puxe pela mão quando quer apressar o passo da criança. 
Carregando... Por Favor Aguarde.